A década de 90 e o ressurgimento do swing jazz

Durante o final da década de 90 ressurgiu um interesse tardio no swing e no jump blues, uma música inseparável da dança de salão dos anos 30 e 40. Bandas como a Cherry Poppin’ Daddies, The Brian Setzer Orchestra, e eventualmente a própria Postmodern Jukebox são exemplos dessa tendência recente.

Esse revival se deu com uma mistura inusitada de elementos do swing clássico e ragtime com um rock mais contemporâneo, o ska e o “rockabilly”, formando o que denominaram de neo swing, ou swing retrô.

Levando em conta o princípio de que durante a sua era dourada, o jazz era a música mais popular, tocando em todas as rádios e salões de dança dos EUA, os novos mensageiros do swing se incumbiram de mesclar músicas pop com os ritmos tradicionais para criar algo divertido e leve.

Com muita qualidade e requinte musical, o estilo foi despertando o interesse da nova geração, que por muitas vezes considerava o jazz moderno uma música cerebral, fria e de difícil entendimento. No dia 18 de agosto vocês vão poder ouvir a PMJ no Vivo Rio com abertura da banda Quinteto Nuclear, no foyer, e o DJ Gustavo MM, residente da Festa Jazz Ahead, fechando a noite com chave de ouro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *